Início » Ventos de mudança

Ventos de mudança

Mulheres pioneiras, 01 - Ventos de mudnça da autora Beverly Jenkins

por Letícia Dutra
2 comentários

Ventos de mudança é o primeiro livro da série de época Mulheres Pioneiras de Beverly Jenkins, um crossover com outra série da autora, a Família LeVeq, que ainda não está disponível no Brasil. Aqui vamos conhecer principalmente dois personagens, Valinda Lacy e Drake LeVeq.

  • Livro: Ventos de mudança
  • Autora: Beverly Jenkins
  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 240
  • Nota: 4/5
livro um da série mulheres pioneiras

“Tudo o que Val queria era ensinar e, assim, fazer a diferença na vida das pessoas.”

Valinda Lacy, 28 anos, nascida e criada em Nova York tem um objetivo na vida: ensinar pessoas pretas a ler e escrever.
Com este objetivo bem marcado ela viaja sozinha para Nova Orleans, durante o período caótico que se segue à Guerra Civil. Lá ela descobre que a situação dos pretos é realmente difícil e se vê envolvida na missão de fazer a vida dos ex-escravizados um pouco menos dolorosa através do conhecimento. Saber ler e escrever poderia melhorar um pouco a vida de todos eles, diante de tantos aproveitadores supremacistas que inssistiam em fornecer trabalhos forçados através de contratos sem benefício e fundamentos éticos aos pretos. Muitos desses contratos não mencionavam pagamentos, estadia, nem volta para casa. Ou seja, uma nova forma de escravidão.

Valinda consegue se estabelecer em Nova Orleans, morando em uma pensão onde não é bem vinda ela segue firme em seu objetivo dando aulas em um celeiro. Mesmo com poucas cartilhas ela consegue ensinar aos jovens e adultos, até que um dia encontra sua sala de aula improvisada destruída e as cartilhas queimadas. Depois disso, é atacada e quase violentada, se não fosse pela intromissão do capitão Drake LeVeq.

Drake LeVeq é arquiteto, carpinteiro e ferreiro. Um homem preto de família bem estabelecida em Nova Orleans. Descendente de mulheres fortes e destemidas, tem como objetivo ajudar na reconstrução da cidade após a guerra civil e melhorar como puder a vida dos ex-escravizados, já que sua família há gerações não passa pela escravidão. Quando conhece Valinda fica encantado com a força e determinação da mulher e se rende apaixonado por ela.

Acontece que Valinda está noiva e possui um pai controlador. Ciente de que sua irmã casou com um homem quase três vezes mais velho, sabia que se não casasse com seu melhor amigo de infância seu destino seria o mesmo que o de sua irmã. Apesar de não amar seu melhor amigo e saber que ele também não a ama, tinha esperanças de ter um pouco de liberdade neste casamento de fachada.

Mas Drake LeVeq com seu sangue descendente de pirada aceitou o desafio de conquistar a professora. Em todas as interações os diálogos transbordavam paixão e rendiam cenas hilárias.

mulheres pioneiras

O livro foge do padrão dos romances de época que se passam em Londres, com bailes, mocinhas ingênuas e debuts. Aqui, Valinda não acredita no amor. Nenhum casal de sua família e conhecidos de Nova York possuem um relacionamento como ela vê na família LeVeq. E com isso temos um mocinho passional aos pés da mocinha descrente. Até poucas páginas para o final do livro temos a impressão de que eles não ficarão juntos, pois a descrença de Val quanto ao amor é sólida demais para ser perfurada pelo apaixonante Drake.

“Eu culpo você e seus parentes piratas. Eu estava bem até conhecer sua família e todo esse amor, toda essa paixão de vocês.”

Este livro mescla romance de época com histórico, pois narra de forma surpreendente acontecimentos do pós guerra civil dos Estados Unidos. A segregação racial, os motins, as entidades que surgiram na época e que não beneficiavam os pretos ex-escravizados e os libertos. Apesar do tema sério e forte, o livro segue uma narrativa leve e fluída e prende o leitor do começo ao fim.

Minha única ressalva é que todo o impasse romântico foi resolvido fácil e rápido demais. Gostaria de mais algumas páginas de desenvolvimento do amor nascendo, crescendo e florescendo na mocinha. Contudo, o livro é uma ótima pedida para quem quer sair do ambiente londrinho e ver mais representatividade negra, estou ansiosa para ler todos os demais livros da série mulheres pioneiras.

“Obrigada por me amar. Você provou que o amor existe e isso mudou minha vida.”

Citações mais marcadas pelo leitores do Kindle

Minha avó sempre me disse que, não importa quanto medo você sinta, nunca demonstre.

Passei minha vida toda querendo ler. Se os fazendeiros não queriam que aprendêssemos, imaginei que era porque isso nos daria poder.

Homens não cortejavam mulheres como ela. Como dissera seu pai depois de Val espantar mais um de seus pretendentes, ela tinha estudado demais, era independente demais e tinha opiniões demais.

Me conta aqui nos comentários, você já leu algum livro da Beverly Jenkins?

Está participando ou conhece o projeto Agosto de Época?

Publicações relacionadas

2 comentários

Cleópatra - @arianaleitora 12/08/2023 - 8:31 am

Agora eu preciso ler esse livroooo!
Adorei sua opinião, os quotes deixaram tudo melhor, já amei rsrs

Resposta
Eliane 15/08/2023 - 10:50 am

Tenho esse livro mas ainda não li . inclusive eu ia le- lo na maratona Agosto de época.mas quero comprar o segundo livro para então ler .
Amei a resenha e fiquei com mais vontade de ler!!

Resposta

Deixe um comentário!